Tecnoretórica Conversas sobre tecnologia com quem entende do assunto

5abr/126

9 – Victor Cavalcante discute a nova web

Neste episódio eu converso novamente com o Victor Cavalcante (@vcavalcante), e dessa vez sobre a nova web. Na nova web os frameworks geradores de HTML (ASP.NET, Ruby on Rails, Play, Web2py, etc) são menos importantes, e o navegador junto com o HTML, CSS e Javascript (e Coffeescript) são mais importantes. Discutimos o que isso significa, qual o impacto e em quanto tempo devemos esperar essas mudanças.

Victor Cavalcante.

Victor Cavalcante.

Eu já havia conversado sobre desenvolvimento web com o Victor no começo do Tecnoretórica. Ouça ele aqui.

O Victor é Microsoft MVP na tecnologia ASP.Net, trabalha com desenvolvimento web a 12 anos, é focado em padrões de desenvolvimento para web. Trabalha na Lambda3, empresa ágil que fundou com outros MVPs e amigos, e que insiste em fazer software certo. É ainda professor universitário e atua no grupo .NET Architects desde seu início.

Links da conversa com o Victor:

  • Web API converte server “sempre” em provedor de serviços. O que, para mim, é uma coisa linda!

    Aplicações Web, para mim, devem remover a obrigação de utilizar a “interface com usuário” nativa. Isso só é possível se a aplicação prover uma API. Web API “facilita” a adoção desse mindset.

    Asp.net MVC é uma excelente tecnologia. Entretanto, está fixado na idéia que a geração da apresentação do conteúdo será no server. Para mim, conceitualmente desvirtuado em um mundo com uma pluralidade de dispositivos…

    Ainda ouvindo, mas até aqui, gostando do podcast.

  • Nota: O browser está mais importante .. Não é o mais importante.

  • A questão é simples: Quero ter a liberdade de usar a interface cliente que mais me agradar.

    Isso independe diretamente da “UX”. O fato é que uma interface com usuário única não consegue atender as expectativas de todas as personas que utilizam a aplicação.

    Por exemplo: eu uso WP7, iPad, MB Air e PCs. Não quero ter a mesma experiência de uso em todas essas plataformas. Uma única aplicação não consegue entregar isso.

    Vejamos o Kindle, por exemplo. Uso em todos os devices, inclusive na Web, além do device dedicado. Ele entrega experiência compatível com todos os devices. Para isso, obviamente, o server entrega somente serviços. 

    😉

  • Eu fui um desses que questionei o asp.net mvc porque eu achava que era uma volta ao asp3 e seu codigo macarrônico. Mas me convenci do ganho real quando o razor foi introduzido no mvc 3.  Agora tem algumas coisas que não saberia resolver utilizando esse modo “View on client”. Por exemplo: algumas vezes o modelo de negócios influencia na maneira como eu vou montar um tela. Tipo perfis de usuário  diferentes que enxergam ou não determinadas área na tela. Como resolver isso sem trazer a regra de negócio para o browser?

  • Muito bom assunto Giovanni, quando estamos tratando de SPA, o A de application está descantando os web sites, direcionando todo o foco para aplicativos web?

    Pois veja bem um site de conteúdo como um blog ou e-commerce ou um web fórum, se o javascript falhar o conteúdo não é entregue e para evitar isto talvez é necessário usar um javascript não obstrutivo para não afetar a acessibilidade.

    O que acham?

  • Pingback: .NET Architects Days 2012 | Blog Lambda3()

  • Janse Romero

    Bastante interessante este assunto e o início de uma nova  ERA!

  • Pingback: Testes integrados com WebAPI | Blog Lambda3()